biblioteca virtual  
IntroduçãoVída Política Sanitarista Pessoal Matérias na Imprensa Depoimentos Galeria de Imagens Linha do Tempo Banco de Dados

voltar para home enviar por email versão para impressão

 No Executivo

No Executivo

Ao longo de sua trajetória, Sergio Arouca passou pelas três esferas de governo como secretário na área da saúde. Em todas elas, perseguiu como objetivo principal a implantação dos princípios da reforma sanitária, entre os quais a descentralização e a gestão participativa. Como secretário de Estado de Saúde e Higiene do Rio de Janeiro, em 1987, Arouca se baseou na idéia de municipalização, segundo a qual os municípios ficam responsáveis pela prestação direta dos serviços de saúde e os estados se responsabilizam pela coordenação das ações e pelos serviços de maior complexidade.

Também nessa época inaugurou uma política de prevenção de dengue voltada para as comunidades (com reuniões em favelas, igrejas e associações de moradores) e lutou pela qualidade do sangue, enfrentando e fechando os bancos do estado que apresentavam condições precárias de instalações e arquivos de doadores soropositivos por Aids, hepatite, Chagas e sífilis.

Quatorze anos depois, como secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, perseguiu como principal objetivo a implantação do Programa Saúde da Família, que iria dar ênfase à atenção básica nas localidades próximas às residências da população, deixando os hospitais funcionando como centros de referência para atendimento de grandes emergências e para as patologias que necessitassem de especialização.

Seu último desafio como gestor na área da saúde foi à frente da Secretaria de Gestão Participativa do Ministério da Saúde em 2003. Essa foi a primeira vez que o Poder Executivo abriu espaço para o movimento organizado participar da gestão do país. Arouca queria avaliar o funcionamento dos Conselhos de Saúde e identificar aqueles que funcionavam com representação popular e controle social, e aqueles que só funcionavam para prefeitos.

 

 

..